27 de agosto de 2012

Um gesto de amor

Imagem: Google

Um garoto muito pobre entra numa loja, escolhe um sabonete comum e pede ao proprietário que o embrulhe para presente.
- É para a minha mãe, diz com orgulho. O dono da loja ficou comovido diante do singelo presente.  Olhou com piedade ao freguês e, sentindo uma grande compaixão, teve vontade de embrulhar com o sabonete algum artigo mais significativo da loja. Entretanto ficou indeciso: ora olhava para o garoto, ora olhava para os artigos da loja. Devia ou não fazer? Seu coração dizia sim, mas sua mente dizia não. O garoto notando a indecisão do homem pensou que ele estivesse duvidando de sua capacidade de pagar. Colocou a mão no bolso, retirou as moedinhas que dispunha e as colocou sobre o balcão.
O homem ficou mais comovido quando viu as moedas de pouco valor.
Lembrou da própria mãe. Fora muito pobre e muitas vezes em sua infância e adolescência desejara presentear sua mãe. Quando conseguiu emprego, sua mãe já não mais vivia.
O garoto com aquele gesto estava mexendo nas profundezas dos seus sentimentos. Ansioso, o menino percebendo algo estranho acontecendo fala: moço, está faltando alguma coisa?
-Não respondeu o dono. É que de repente me lembrei de minha mãe. Ela morreu e quando eu era jovem nunca pude comprar-lhe um presente
Na sua espontaneidade o menino disse: nem um sabonete?
O homem, desistiu de melhorar o presente, embrulhou-o com o melhor papel e despachou o menino.
 A sós, pôs-se a meditar. Como é que nunca pensara em dar algo pequeno, simples para a sua mãe? Sempre pensara que presente tinha que ser algo significativo, tanto que até sentira piedade do menino e quis até melhorar o presente dele.
Percebeu que havia recebido uma grande lição. Junto com o sabonete do menino seguia algo muito importante e grandioso, o melhor de todos os presentes: um gesto de amor!
Do Livro: HISTÓRIAS QUE NINGUÉM CONTOU
Autor: Melcíades José de Brito

Esta moça da foto é irmã de minha mãe, que durante minha infância e adolescência, no meu aniversário, ela aparecia diante de mim, como quem não quer nada, com as mãos para trás, tentando esconder, um embrulhinho de presente. Todos os anos era assim. A única pessoa que aparecia para me cumprimentar sempre foi ela e a única que me dava como presente, o gesto de amor do menino: um sabonete!  Tia Celeste! O anjo que me presenteava. Sempre há alguém assim, feito anjo na vida da gente!
Graças a Deus!!!


Fique na Paz do Senhor com meu abraço fraternal!
Tenha uma semana rica de bênçãos e muita Luz!!
Beijos!!!

19 comentários:

✿ chica disse...

Presentear deve ser gesto que passa antes de tudo pelo coração.

Gosto de fazê-lo pensando nas características da pessoa, do que ela poderá gostar,etc.

Mesmo coisinhas simples ficam valiosas com o amor embutido. LINDO e que lindas lembranças da Tia Celeste.

Isso fica pra sempre!

beijos,tuuuuuuuuuuuudo de bom,chica

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Maria Luísa
Eu tenho uma tia anjo também... é tão bom!!!
Hoje mesmo, caminhando pela manhã, me pus a pensar nela e em como Deus é bom nos dando um presente maternal...
Tem festa no Blog pra VC...
Deus te cubra de bênçãos e te faça feliz!!!
Bjs festivos de paz

Nana Pinho disse...

o amor engrandece qualquer presente fisico!

BjOs de Nana :)
Nana Pinho Em Cores

Élys disse...

O presente sempre deve passar pelo coração.
Bonita postagem
Tenha uma linda semana.
Beijos

Tetê disse...

Linda história... o importante num presente é a intenção de presentear. Não precisa nem embrulho, eu olho é a forma como a pessoa me presenteia. Às vezes, um presente caro dado como que por obrigação... Como foi na missa ontem? Eu ontem passei o dia na paróquia ajudando no encontro de jovens. Muitas cozinheiras e ninguém para lavar louça e fazer a limpeza. Fui para ficar até a hora do almoço e acabei ficando até o final da tarde! Uma delícia estar cercada de jovens barulhentos e bagunceiros! Bjks Tetê - Manancial

Felipa disse...

Comovente, mesmo!

Imac by Artes disse...

Querida Maria Luísa!
Linda e comovente história...
As crianças em sua inocência nos ensinam muito!
Linda também sua lembrança, tem gestos que ficam pra sempre em nossa vida...como esse de sua Tia Celeste.
Abraços e uma semana abençoada e feliz pra ti.

Lucinha disse...

Maria Luiza,

Um post pra muita reflexão.
Lembro-me que as pessoas não gostavam de receber sabonete como presente. Eu gostava e gosto até hoje. Trouxe vários da Natura que ganhei.

Mas, falando do post, me faz lembrar do meu irmão. Ele era bem pequeno e ganhou um jogo de xícaras muito simplesinho numa rifa de festa escolar. Ele deu pra minha mãe, claro. O engraçado era que todos os dias das mães, aniversário dela e Natal, ele dava o mesmo jogo.kkk Ele ia lá no armário pegava a caixinha e entregava.kkk Até hoje, rimos muito disso tudo.

Fiquei comovida com seu relato sobre a tia que lhe presenteava. Dentro dos sabonetes que ela lhe deu existia muito amor e carinho.

Sem mais palavras. Beijos

Jonathan Cruz disse...

Obrigado pelo carinho e elogios. Tenha uma semana linda!
Abraço.

Leninha disse...

Oi Maria Luiza,

Gosto de te visitar, pois sempre aqui encontro uma bela mensagem de vida.Durante muitos anos, em minha vida de professora, ganhei sabonetes de meus mais humildes alunos...e era uma alegria, sempre.O que mais valia era a intenção e este era o meu melhor presente.

Achei lindo o porta retrato de rendinhas,amiga...e a fisionomia da tia também.

Bjsssssss,
Leninha

Ailime disse...

Maria Luiza,
Que comovente história! Emocionei-me. Penso que já tinha lido há bastante tempo, mas estes gestos de amor são sempre bons de lembrar.
E a sua tia, maravilhosa!
Gratas estas recordações que nos marcam para toda a vida.
Aqueles poeminhas que faço de vez em quando são dedicados aos meus avós maternos que faleceram ainda não faz muito tempo, apesar de eu já não ser jovem.
Mas deixaram-me uma saudade enorme e tinham sempre gestos lindos assim para comigo e minhas irmãs.
Desculpe o desabafo, mas estes assuntos sempre mexem muito comigo.
Beijinhos e continuação de uma excelente semana.
(A moldura está espectacular)

ARTESANATO EM GERAL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ARTESANATO EM GERAL disse...

Olá,

que bela mensagem. Realmente é muito gratificante presentear.

Também tive uma tia querida como a sua Tia Celeste. Com certeza, traz belas lembranças.

Um beijo.

Lauriane

ARTESANATO EM GERAL disse...

Olá,

que bela mensagem. Realmente é muito gratificante presentear.

Também tive uma tia querida como sua Tia Celeste. Com certeza, traz belas lembranças.

Um beijo.

Laurine

Liz - Como as Cerejas da Minha Janela... disse...

O que dizer depois de um post assim...?

Só: muita emoção... me tocaram fundo alma, e o coração...

Obrigada pela linda partilha...

beijos emocionados e com muito carinho...

Tetê disse...

Maria Luiza... bom te ver pelo Manancial que hoje está recordando o martírio de João Batista! BJks Tetê

Fabiana Tardochi disse...

Que história linda querida maria Luiza!
Aprendemos todos os dias com as crianças, e eu como mãe vivo essa lição todos os dias com os meus filhos, com um bilhetinho, com uma rosa colhida no jardim, com um sabonete.... O mais importante de tudo sempre foi o gesto de amor, sempre!
Por aqui tudo bem, sua xará é a coisa mais rica!!!

Um beijo e boa noite

Simone Carvalho disse...

Olá Maria Luísa,
bonita mensagem e que história linda a sua com a tia Celeste.
Obrigada pela visita. A minha chaleira também é relíquia, pois ganhei do meu avô materno, que hoje estaria com 100 aninhos se aqui estivesse. Mas pintei com pva, se enjoar é só lavar.
Beijos e bom domingo!
Simone

Sheila Jorge disse...

Obrigada pela visita e pelo carinho, Maria Luiza.
Depois visita o meu site de mensagens, tem essa e muitas outras: http://www.mensagensdiarias.com.br
grande beijo e fique com Deus.

Related Posts with Thumbnails